Arquivo da tag: marido

LEI DA SENSUALIDADE

LEI DA SENSUALIDADE

                                                                                                                                                                William e Rubens, no seu livro As 25 Leis Bíblicas do Sucesso,mencionam na introdução que “muitos desconhecem é que as leis da natureza não são apenas essas mais fáceis de se perceber” eles falam sobre a lei da gravidade, pois embora eu possa desconhecê-la, não tenho como me furtar aos seus efeitos. Mas eles continuam a lecionar: “Assim como as leis da física, da química e da biologia, e tão certo quanto as leis da matemáticas, as leis espirituais influenciam o seu dia a dia e também guardam uma relação de causa e efeito. Respeitá-las pode trazer grandes benefícios e ignorá-las, com certeza, trará consequências negativas.”    Tanto eles como Napoleon Hill, esqueceram-se desta lei: “A Lei da Sensualidade”. A meu ver, esta lei, quando desobedecida é  terrível e  tem destruído a vida de muitas pessoas de sucesso. Qual seria essa coisa negativa que assim faz?  Napoleon Hill apresenta os medos que nos destroem o ânimo e, consequentemente o sucesso, William e Rubens informam os pecados que afetam o sucesso de alguém ou pode impedi-la de alcançá-lo. Mas todos não tocaram nesse aspecto  terrível que é a sensualidade. Mas o que podemos chamar sensualidade? É tudo aquilo que envolve nossa mente e nos conduz para vivermos segundo os desejos sexuais.

A Lei da sensualidade (ou da sexualidade?)  rege o aspecto sexual da vivência humana.

A desobediência de seu comando traz sérias dores de cabeça, infelicidade e prejuízos  tanto na vida social, familiar e empresarial.

Esta lei, depois da Lei do Conhecimento, é a mais incrível.

Se observarmos,  a Lei da Sexualidade está registrada nos dez mandamentos, quando Deus determina: Não adulterarás e logo a seguir afirma: “Não cobiçarás a mulher do te próximo. E Jesus Cristo leciona: ”Se olhares com intenções impuras para uma mulher já adulteraste com ela. E tantos outros textos condenam o uso do sexo de maneira indevida, fora do casamento.

No mundo de hoje, em que os “profetas da ideologia do gênero” avacalharam com a figura do homem e mulher, marido e esposa, buscando destruir a família, esta Lei está sendo incrivelmente ferida.

Ora toda lei tem uma penalidade por seu descumprimento.

No caso da Lei a Sexualidade, a pena está  inicialmente narrada em Oseias 4:11: A sensualidade (luxúria, desejos da carne), e o vinho, e o mosto tiram o entendimento ( coração).

O que ele está dizendo? Simples, se nos deixamos levar pela sensualidade, pelos desejos sexuais, eles irão nos destruir, pois faltará entendimento, compreensão do que é necessário para o desenvolvimento das bases do nosso sucesso. Verdade esta que vi na vida de certo jovem.

Cedo começou a desenvolver sua pequena empresa de produção e venda de doces. Mas começou a olhar para os colegas que estavam namorando e fazendo coisas que é vergonhoso de mencionar, com suas namoradas. Do ouvir e ver, ao desejar de fazer,  foi um passo. Por sua sensualidade, fechou seu pequeno negócio para “ir atrás das meninas”. Tolo, louco foi esse jovenzinho. Ficou sem o seu empreendimento e perdeu a oportunidade de crescer e prosperar.  Lamentável!

Poderíamos acrescentar esse pecado à lista mencionada por William e Rubens.  Quantas pessoas estão lutando para ter sucesso com o foco no que poderão obter sob a ótica sexual? Isto, na realidade toca mais aos homens, mas, não posso dizer que mulheres também não tenham essa visão.

A questão é simples, a Lei da Sexualidade, quando ferida é um tiro no pé.

Ao desobedecê-la,  qualquer pessoa que assim o faça,   sairá perdendo, pois como o texto diz,  a sensualidade,  é como o vinho e o mosto. Ambos embriagam, e tiram o entendimento. A pessoa que se embriaga faz coisas terríveis, das quais, ao terminar o momento do “porre”, sente tristeza e vergonha. De igual maneira, podemos observar que o se deixar dominar pela sensualidade é a mesma coisa. Ela conduz ao infrator a  encher a sua mente com coisas negativas relativas ao sexo. Não estou dizendo que o sexo seja ruim; não, não estou dizendo isto. Sexo é bom, ele é dom de Deus, mas o mesmo Deus que nos deu o sexo nos concedeu também, algo precioso que é a inteligência, o discernimento e entendimento. O  uso  destas três coisas que chamo de ferramentas básicas para obtenção do sucesso, nos levará a conhecer que, ferir a lei da  sensualidade nos afetará sobremaneira,  levando-nos a  tirar o foco do verdadeiro sucesso que pretendemos alcançar.