LEIS QUE REGEM O SUCESSO – DEUS AS ENSINA A JOSUÉ

 

Sucesso é de conceito amplo.  Tudo o que fazemos e é bem sucedido, representa sucesso, seja uma prova na escola, uma viagem, até mesmo atravessar uma avenida, buscando chegar do outro lado, e ao chegarmos, isto representa sucesso.  Mas na grande maioria das vezes, sucesso vem representado pelos bens que amealhamos e o dinheiro que conseguimos ganhar, juntar e investir para multiplica-lo e assim sucessivamente.  Sucesso, aos olhos humanos, representa verdadeiramente ter dinheiro, ser rico. A visão que a sociedade tem de uma pessoa de sucesso é daquela que efetivamente conseguiu amealhar grandes riquezas.

Por isto venho me debruçando sobre o tema há alguns anos com o firme propósito de entendê-lo e como é obtido. De pronto constato que existe uma métrica para se ter  sucesso verdadeiro, que não traga posteriormente dissabores.  Agora mesmo estamos vendo na mídia, que pessoas tidas como de sucesso no mundo político e empresarial, estão amargando vergonhosas notícias sobre suas vidas repletas de corrupção. Estão sendo processadas, e, possivelmente serão condenadas, embora, famosos advogados as defendam, e muitos magistrados os ajudem com decisões que, claramente tem uma conotação dúbia sobre as ações praticadas. Todavia, o verdadeiro sucesso financeiro, existe, e pode ser estudado cientificamente, pois existem leis, que embora não sejam matemáticas, são de uma certeza total.  Existem três obras literárias que tratam desse tema de maneira incrivelmente inteligente e sábia. A primeira que compulsei ainda na minha infância foi como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas de Dalle Carnegie,

A segunda: A Lei do Triunfo de Napoleon Hill

 

 

 

e a terceira,  as 25 Leis Bíblicas do Sucesso, de William Douglas e RubensTeixeira;

também a estas juntei o querido livro de Norman Vicent Piale, o Poder do Pensamento Positivo. Obras magistrais que tratam com profundidade as leis que regem o sucesso. É claro que cada um deu seu enfoque particular, mas, ao exame de todos os argumentos expressos pelos queridos autores, poderemos verificar que o que dizem, em épocas  e  modos diferentes não se contradiz, e, na realidade, se somam em seu conteúdo de sabedoria, discernimento e entendimento sobre o que seja o sucesso.   Você pode até duvidar de que existam leis sobre o sucesso.  Mas ao se debruçar em conhecer o tema, e buscar verdadeiramente entendê-lo, verificará que as leis que regem o sucesso existem e são importantes, em sua aplicação, na vida de quem deseja ter o verdadeiro sucesso. Mas o interessante disto tudo é que, após ler  e estudar muito o tema, cheguei a uma conclusão deliciosa. Todas as leis que regem o sucesso estão contidas na Bíblia, a Palavra de Deus. Mas o mais incrível é que essas leis de tão verdadeiras que são, podem ser aplicadas ou utilizadas, mesmo por quem não tema a Deus, e tampouco aceite a Bíblia como a Sua Palavra. Usando-as  em sua vida e seus negócios, por certo terá sucesso, pois as leis o regem são como a Lei da gravidade, embora eu possa até  desconhece-la, não tenho como me livrar de seus efeitos.   Essas leis tem um precioso resumo no livro de Josué – Josué 1:1-9, quando Deus as ensina a Josué o grande General Hebreu. Neste texto, estão em síntese, as leis do sucesso, que, para mim, se resumem em apenas duas: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.  As demais leis são sequenciais a estas.  Procurei inicialmente adaptar as leis ditas por Deus a Josué, ao  rol das leis que Napoleon Hill, compilou: 1) Master Mind – Deus estaria com ele em todo o tempo;  2) Confiança em si mesmo –esforça-te e tem bom ânimo; 3) Objetivo Principal Definido – Você fará o povo herdar a terra; 4) Obediência a Autoridade – Fazer tudo conforme está escrito; 5) Exercício de Vontade – Conduzir-se com prudência, cautela, discernimento e entendimento. 6) Conhecimento – Falar a Palavra – para falar precisava ler, conhecer e aplicá-la; 7) Meditar na Palavra Dia e Noite – Meditação, séria e eficaz enchendo a mente e o coração com o precioso conteúdo da Palavra; 8) Ser Proativo – Esforçar-se, ter bom ânimo, sê corajoso;  9) Fracasso – Não ter medo do fracasso, pois Deus estaria permanentemente com ele 10) Paciência e persistência – Para ter sucesso precisaria ter paciência no aprender, conhecer, e persistência no praticar o que lhe fora ordenado. Bem, este é um pequeno resumo das leis que regem o sucesso, veremos que outras se somam a esta. Mas existe uma que está mencionada em Provérbios 16:3, que diz “Consagre ao Senhor tudo o que você faz, para que seus projetos sejam bem sucedidos.” Ora para se consagrar ao Senhor o que fazemos temos de ter consciência de que o que queremos fazer é correto,  justo, e perfeito. Se o pessoal da Lava a Jato as aplicasse em suas vidas, por certo não estariam agora sofrendo as consequências do que fizeram. Mas existe  outro viés a ser visto. Quantas pessoas são honestas, corretas, e estão amargando dívidas imensas pobreza e vergonha?  Por quê?  Simples. Leis são para serem obedecidas. Se as desobedecemos sofremos as consequências. Lembra-se da lei da gravidade. Posso desconhecer sua existência, mas se pular do vigésimo andar de um edifício sem paraquedas, verificarei na prática, que ela existe e funciona. No caso do sucesso é a mesma coisa. Que bom seria que estas leis fossem ensinadas nas escolas desde a mais tenra infância. Por certo a vida de muita gente seria diferente,  pois que acompanhada de sucesso permanente e verdadeiro.

 

AUTOR: OG OLIVEIRA E SOUZA – Bacharel em Contabilidade, Professor Licenciado, Advogado, empresário na área de TI, Teólogo.

GANHE DINHEIRO IMPORTANDO PRODUTOS

Saiba como, clicando no link abaixo.

https://go.hotmart.com/G5740484J

OBJETIVO PRINCIPAL DEFINIDO – ESTABELECENDO A META

Napoleão Hill em seu maravilhoso livro: “O Segredo do Triunfo”, Editora José Olimpo, fala sobre esse tema.  Objetivo Principal Definido é o nome que se dá a um objetivo por nós estabelecido. É uma meta, um alvo, que definimos para ser alcançado. Quem  não estabelece aonde quer chegar, poderá chegar a qualquer lugar sem que o queira. Em termos de empreendimentos faz-se necessário estabelecer qual objetivo a ser alcançado, ou seja, precisamos definir o nosso objetivo principal, dentre tantos outros objetivos que possam surgir à nossa frente. Em termos de negócios, o grande problema que, ao  estabelecemos um OPD, mantemos uma visão múltipla de coisas que desejamos alcançar, algo  nos envolver em confusão mental, pois, realmente faltará o espaço necessário para que possamos decidir por esta ou aquela cena que nos seja favorável. Algo que, por certo exigirá um assessoramento competente, que nos ajude a decidir o melhor caminho a seguir para alcançar o Objetivo Principal Definido.

Entretanto, dentre todos os objetivos vistos, um, por certo, será o principal, aquele que, efetivamente, nos dará atendimento ao nosso sonho ou desejo.

Mas é preciso tomar muito cuidado com o objetivo que se pretende alcançar. O objetivo principal definido, ou a definição da meta principal a ser alcançada; dever ser visto com olhos apurados de quem deseja fazer o certo, o justo e o excelente.

Não podemos estabelecer a métrica de que os fins justificam os meios, tai o pessoal da delação premiada da Operação Lava à  Jato, que não nos deixa mentir. Se, queremos ter sucesso efetivo no que fazemos, especialmente se almejamos o sucesso financeiro, advindo de um empreendimento por nós desenvolvido, devemos ter a consciência de que todos os meios utilizados devem estar contidos em parâmetros que envolvam integridade, honra, ética e o desejo ardente de fazer tudo com excelência, sem deixar espaço para coisas que  não são úteis, e muito menos honestas.

Podemos traçar um alvo que, aos nossos olhos possa parecer o melhor e o mais promissor, entretanto isto poderá ser um grande engano, que nos levará à destruição, daí haver a necessidade de filtramos os nossos desejos para que, efetivamente, se transforme em um objetivo principal definido, com uma beleza impar que será resultante de atos dignos que nos permitam viver e alcançar o pretendido, sem que fiquemos com culpa ou medo como ocorrências certas do que realizamos.

Um exemplo prático que nos vem a memória é o do rei Davi. Ele foi tomado de um intenso desejo de trazer para sua cama, a linda Bate-Seba. A partir do momento que a viu nua, tomando banho, na casa próxima ao seu palácio, traçou um OPD, que era o de conquistar aquela mulher. O Objetivo Principal de Davi, aparentemente era muito bom: “Conquistar aquela bela jovem. Só que o OPD do rei Davi, esbarrava em uma coisa que ele não esperava. A moça era casada com um dos soldados do exército de Israel, do qual ele era o comandante-em-chefe.

O que se pode observar? O OPD de Davi feria os princípios da retidão, integridade e  ética. Logo não poderia ser buscado. Então, seja qual for o empreendimento desejado, pelo qual o estabeleçamos como OPD há necessidade de se ter o cuidado de verificar se o que queremos alcançar, ou se a nossa a meta proposta, é realmente lícita e fará bem a nós e ao próximo. É interessante observar que todas as leis de sucesso se resumem em apenas duas: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.  Se um OPD colide com essas duas leis, é certo que os resultados do desenvolvimento das atividades que nos permitem alcança-lo, serão desastrosos e tristes.

Portanto, há necessidade de se fazer um exame acurado do que desejamos ter como OPD, ou meta, ou alvo a ser alcançado seja  qual for o  empreendimento.

Davi tinha seu OPD: “Levar Bate-Seba para cama”.  Em cima do seu objetivo realizou as atividades necessárias para alcançá-lo.  Fez “pesquisa de mercado”: Buscou saber quem era a jovem, e como poderia ter acesso a ela.  Realizou um planejamento acurado para alcançar o  OPD.  Estabeleceu a forma como a traria para sua casa e a levaria para cama. Mandou busca-la. Preparou um banquete para ela, regado a muito vinho. Finalmente alcançou o seu OPD. Fez sexo com Bate-Seba. Como o rei Davi feriu as duas Leis Magnas que regem  qualquer OPD, o resultado foi trágico para ele, Bate-Seba, para o marido desta e da  família de ambos.  Desgraça total!

Esta história ilustra bem como devemos ter cuidado ao traçar um OPD. Seja empresarial, familiar ou qualquer outro. Ele deve estar vinculado às duas leis citadas, pois, se fugirmos, mesmo que um pouco, de seu alcance, o nosso Objetivo Principal Definido nos trará certamente dores de cabeça, fracassos e aborrecimentos e prejuízo sem tamanho. Então, cuidado com o OPD que você estabelece em sua vida. E, mesmo que o OPD esteja sob a ótica das duas leis citadas, é necessário cuidado redobrado para que os meios para alcançá-lo não se distanciem dessas leis, pois um bom OPD não pode ter como máxima o ditado: “Os fins justificam os meios.”  O OPD pode ser bom justo e perfeito, mas se os meios para alcança-los ferem as leis Magnas citadas, aquele perecerá por causa destes.

FONTE DE IMAGENS: GOOGLE IMAGENS